UTI PEDIÁTRICA

A Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Pediátrica e Neonatal localiza-se em ampla área no 4º andar do Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP). O setor dispõe de 10 leitos para atendimento de crianças de 0 a 12 anos, para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), convênios diversos e particulares, oriundos de Pelotas e região.

A unidade destina-se à assistência e ao ensino, servindo aos estágios dos cursos da Saúde da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). A capacitação da equipe multidisciplinar, a infraestrutura existente e a humanização do atendimento são as bases para a recuperação das crianças internadas. Esses recursos também foram os responsáveis pelo credenciamento da Unidade em nível II.

A UTI conta com uma equipe de nove médicos com especialização em Pediatria, Neonatologia e Intensivismo Pediátrico, além de apoio nas áreas de Cirurgia, Cardiologia, Neurologia, Hematologia, Ortopedia, entre outras. Possui ainda um corpo de enfermagem treinado no atendimento de crianças, além de fisioterapeutas, psicólogas e nutricionistas.

Em um ambiente climatizado, os pacientes têm acesso a recursos tecnológicos e equipamentos modernos para monitoração cardíaca e respiratória, incubadoras, respiradores, etc. A estrutura ainda é voltada para os diagnósticos de laboratório e imagem, 24 horas ao dia.

A unidade atende recém-nascidos, prematuros ou não, que apresentam doenças respiratórias, cardíacas, neurológicas, congênitas ou infecciosas, que necessitem de atendimento clínico e/ou cirúrgico. Crianças maiores que se apresentem criticamente doentes ou necessitem monitoração, vigilância médica e cuidados de enfermagem contínuos também podem ser atendidas.

A presença dos pais é estimulada e liberada sem restrições de horários, assim como a amamentação e a aplicação do Método Canguru. Todas essas estratégias são responsáveis pela recuperação mais rápida da saúde dos pacientes e pela manutenção do vínculo mãe-bebê.

Método Mãe Canguru
Implantado em setembro de 2002, o HUSFP disponibiliza assistência neonatal que incentiva o contato pele a pele desde cedo entre a mãe e o recém nascido de baixo peso. Esse processo, conhecido como Método Mãe Canguru, é realizado de forma crescente e pelo tempo que ambos entenderem ser prazeroso e suficiente. Além disso, esta ação visa estimular também o aleitamento materno, diminuindo o risco de infecção hospitalar e permitindo maior participação dos pais no cuidado do recém nascido.